Refutando o copy/paste da minhoca

O Adalberto postou um imenso copy/paste crental. Claro que não foi de nenhuma publicação indexada. Nem rezando pro deusinho dele ele conseguiria isso. Esse deus não é mais como o descrito na Bíblia. Anyway, eu resumi a postagem aos pontos principais e tirei as pregações de retardado mental. Se vc estiver interessado naquilo, vá no link e divirta-se. Aqui o papo é sério.

E, é claro, a princesa vai ficar sapateando. pode continuar à vointade, não me importo em absoluto.

Adalberto | adalberto@abcrede.com.br | IP: 189.47.18.29

Para ver o texto no formato original, acesse: http://www.earthharvest.org/pt/ApologiaDaBibliaChristianismo/ExisteUmDeus/9DesenhadorDeusVersesDarwin.htm

[pregação idiota]

Criação ou Evolução? Criado ou Evoluído?
A Bíblia ensina que Deus criou o universo e tudo o que nele há. A teoria da evolução ensina que o homem é produto do desenvolvimento das formas mais simples de vida em formas mais complexas e tudo se deu ao acaso.

Não, não. A Evolução descreve como surgiram as espécies. Ele deveria ir estudar.

Tal como uma máquina que por si mesma se constrói. A teoria da evolução descarta a necessidade de um Criador inteligente ou de um Designer Mestre.

Pois é. Diferente do deusinho que cria as coisas do NADA.

Crer na evolução viola a Primeira Lei da Termodinâmica, a lei da conservação da energia, que estabelece que a energia pode ser convertida de uma forma a outra, mas não pode ser criada ou destruída. Nada na organização atual da lei natural pode dar conta de sua própria origem. A energia necessária para uma evolução inovadora, por exemplo, um peixe que desenvolva pernas para se arrastar para fora de uma lagoa, transgride esta lei inviolável da física. A estrutura atual do universo é de conservação. O modelo criacionista está de acordo com a perspectiva bíblica de mundo de que Deus criou o universo. Uma vez que Deus cessou suas obras de criação (Gên.2:3), a energia não é mais criada. A liberação de energia em uma reação de divisão do núcleo atômico não é uma criação de energia, mas uma mudança da matéria em energia.

FALSO!

Leia aqui sobre a 1ª Lei da Termodinâmica: http://www.if.ufrj.br/teaching/fis2/calor/calor.html

Se NADA pode ser criado nem destruído, então, quem VIOLA a 1ª Lei da Termodinâmica é o criaburricionismo. Dizer que deus criou tudo e depois estabeleceu isso é, noi mínimo, de uma estupidez cavalar.

Crer na evolução viola a Segunda Lei da Termodinâmica, a lei da dissipação da energia. A energia disponível para trabalho útil em um sistema funcional tende a dissipar-se, embora a energia total permaneça constante. Sistemas estruturados progridem de um estado mais ordenado e complexo para um menos ordenado, desorganizado e aleatório. Este processo é conhecido como “entropia”. Teoricamente em uma situação rara, limitada e temporária poderia acontecer no final um estado mais ordenado. Mas, de acordo com esta lei, todos os sistemas se movem rumo à deterioração. A evolução viola diretamente a segunda lei da termodinâmica. Os evolucionistas estão conscientes disso e por esta razão precisam de bilhões de anos de violações freqüentes da segunda lei da termodinâmica. Estatisticamente a evolução não é apenas altamente improvável, mas virtualmente impossível.

Eu não vejo mal nenhum de algo demorar bilhões de anos. Só haverá problemas se alguém muito imbecil acreditar que a Terra tem menos de 7000 anos de idade. Ademais, temos outro probleminha aí.

Você sabe o que é a 2ª Lei da Termodinâmica, Minhoca? Também conhecida como lei da entropia, a 2ª lei diz que é impossível um aproveitamento total da transformação de calor em energia, pois uma parte da energia sempre volta a ser calor. De forma complementar, toda forma de energia tende a se converter em calor (já que o calor é a forma mais degradada de energia). A esse retorno ao estado simples chama-se entropia. Entendeu? O que isso tem a ver com especiação? Pode me dizer?

A estúpida afirmação criaburricionista alega que um ecossistema complexo como o da Terra jamais poderia se formar gradualmente porque, graças ao príncipio da entropia, todo sistema tende ao simples, à desorganização, ao retorno ao estado original, e não à complexidade crescente.

Esse argumento é ridiculamente falacioso. Primeiramente porque o príncipio entrópico refere-se apenas a um estado relacionado ao CALOR. Ele não pode ser estendido a outros sistemas complexos, especialmente à organização biológica. A temática da 2ª Lei está centrada na variação molecular, não se reportando à organização de galáxias, ecossistemas, etc.

Finalizando, a 2ª Lei está restrita a SISTEMAS FECHADOS, onde aja concentração térmica crescente. Um ecossistema é um SISTEMA ABERTO, portanto, não entra no escopo da segunda lei. Este argumento, portanto, se constitui em uma aplicação errônea das leis científicas.

Estude aqui: http://www.if.ufrj.br/teaching/fis2/segunda_lei/segunda_lei.html

Em outras palavras, os idiotas que propõem que toda a matéria e energia do Universo foram CRIADAS são os religiosos. hehehehe. Afinal entre o criaburricionismo e o Evolucionismo, quem viola a 1ª Lei?

A evolução viola a Lei da Biogênese de que a vida vem apenas de uma vida pré-existente e apenas perpetua sua própria espécie. Crer na evolução é essencialmente uma crença na “geração espontânea” onde em um cenário a vida apareceu quando um raio golpeou algo denso e de alguma maneira uma célula viva se formou. Pasteur (1860), Spallanzani (1780), e Redi (1688) refutaram que as larvas podem vir de carne em decomposição, moscas de cascas de banana, abelhas de bezerros mortos (etc…). Quando a matéria deteriorada foi selada e pré-esterilizada nenhuma vida surgiu já que não houve contaminação biológica.

Só tem um detalhe: Evolução não cuida da origem da Vida. Mais uma bola fora, LEIGO. De qualquer forma, podemos dizer que na Teoria (científica) de Oparin e Haldane os primeiros seres surgiram de matéria inanimada, no entanto, ao contrário do que defende a Abiogênese, não se tratava de algo imediato (pelo contrário, houve várias transformações graduais, passando inclusive pelos aglomerados protéicos envolvidos por memberana permeável, como os Coacervados).

Não existe prova alguma no registro fóssil que confirme a evolução. De acordo com a teoria geral da evolução a progressão básica da vida culminando no homem era: matéria inerte, protozoários, metazoários invertebrados, peixes vertebrados, anfíbios, répteis, pássaros, quadrúpedes com pêlo, símios e homem.

Sugiro que visite alguns museus ao invés de sua igrejinha.

Se a teoria da evolução fosse precisa esperaríamos encontrar uma vasta quantidade de formas de transição objetivamente preservadas em registros fósseis. As formas transitórias são totalmente ausentes dos registros fósseis existentes. Acreditou-se certa vez que o Archaeopteryx era uma forma transitória de vida, mas desde que foi conhecido pelos paleontólogos verificou-se que na verdade tratava-se de uma ave real.

Não diga? Pode me dar as referências bibliográficas disso? Publicações indexadas, por gentileza.

E não, não se precisa de uma infinidade de registros fósseis quando temos a mais avançada técnica existente: DNA. vai estudar, LEIGO!

Os evolucionistas, cientes desta falha evidente em seu sistema de crença, agora argumentam que os fósseis não estão presentes porque houve breves “explosões evolutivas” durante bilhões de anos as quais, por causa da rapidez e brevidade, não deixaram marcas (como impressões digitais) no tempo. Apesar da crença na “explosão evolutiva”, ela ainda não encontra suporte nem na Primeira, nem na Segunda Lei da Termodinâmica e, tampouco, na Lei da Biogênese.

Ambas refutadas. Próxima besteira?

Os registros fósseis falharam ao documentar um simples e verificável “elo perdido” entre o símio e o homem. São inúmeras as compilações sobre evidências superficiais, e imprecisas, construções altamente especulativas e interpretações de artistas, entretanto não existe uma prova científica sequer documentando um elo perdido.

Resposta —> DNA

“Achados positivos” de um elo perdido são periodicamente anunciados apenas para serem subseqüentemente confundidos em controvérsias revistas ou desmentidas. O homem de Nebraska foi reconstruído baseado na descoberta em 1922 de um simples dente que pertencia a uma espécie extinta de porco.

1922? Olha, eu não queria ser irritante (mentira, quero sim), mas isso foi no século passado. temos mais evidências e melhores técnicas. vai estudar.

Em 1891 o homem macaco de Java ou Pithecanthropus erectus (homem macaco ereto) foi reconstruído baseado num pequeno pedaço do topo de um crânio, um fragmento de um osso da coxa esquerda e três dentes molares. Os vestígios foram coletados num raio de extensão de 21.3 metros dentro de um velho leito de rio misturado com ossos de animais extintos. Sem provas suficientes de que todos os ossos encontrados pertenciam ao mesmo animal um suposto elo perdido foi encontrado com evidências insuficientes. Dr. Eugene Dubois, um evolucionista fervoroso, mais tarde chegou à conclusão de que os ossos eram os resquícios de algum tipo de gibão (macaco grande da Malásia, do gênero Hylobates).

Pode me dar algo mais recente? Até aí não refutou a Evolução em nada.

Em 1912 Charles Dawson, um fossiologista amador produziu alguns ossos, dentes e instrumentos primitivos os quais ele supostamente encontrara em uma jazida de cascalho em Piltdown, Sussex, Inglaterra.

Fossiologista? O que é isso? Não tem nenhuma referência no Google a respeito. Ademais, o texto disse AMADOR. Logo, não era um cientista. Dessa forma, temos outro LEIGO se metendo onde não foi chamado. E quem o desmascarou? OS CIENTISTAS. hehehehehehe

Em outubro de 1956 a revista Reader’s Digest publicou um artigo, retirado da revista Popular Science Monthly, intitulado “O Grande Engano de Piltdown” (The Great Piltdown Hoax).

Ambas não são publicações científicas indexadas. Pode me trazer algo decente?

Um novo método de absorção de fluoreto para datar os ossos revelou que os ossos de Piltdown eram fraudulentos.

Olha a Ciência aí!😎

Os dentes tinham sido limados e tanto eles quanto os ossos tinham sido descorados com bicromato de potássio para ocultar a verdadeira identidade. Todos os “experts” haviam sido enganados por mais de quarenta anos.

Experts = cientistas. Obrigado.

Por muitos anos o Homem de Neanderthal foi considerado um elo perdido. Ele foi retratado como uma criatura peluda, semi-ereta, contorno alterado do tórax, mais freqüentemente com um porrete nas mãos. Outros esqueletos de Neanderthal revelaram que o Homem de Neanderthal era completamente ereto, totalmente humano, com uma capacidade cerebral superior a do homem moderno em até 13%. Concluiu-se que a espécie inicial tinha sido mutilada pela ósteo-artrite (afecção inflamatória das articulações) e raquitismo. Hoje o Homem de Neanderthal é considerado Homosapiens.

Olha, lamento interromper a pérola, mas o que isso tem a ver com Evolução?

Henry Morris em seu livro “A Criação e o Cristão Moderno” (Creation And The Modern Christian -Master Book Publishers, El Cajon, California, 1985) chama atenção para:

“Se a evolução fosse algo verdadeiro, então os vários estágios da evolução humana deveriam ser os mais bem documentados de todos, já que o homem é supostamente a mais recente chegada evolutiva e porque existem muito mais pessoas investigando neste campo e procurando por evidências de fósseis do que em qualquer outro. Apesar disso, como foi destacado acima, a evidência atual é ainda extremamente fragmentária e bastante duvidosa. Contudo, é um assunto de fortes disputas entre os antropólogos evolutivos exatamente quais fósseis hominídeos podem ser ancestrais do homem, como também quando e em que ordem.”

Qual a formação dele?

http://www.christiananswers.net/creation/people/morris-h.html

Engenheiro Hidráulico? Ok, muito especializado e abalizadíssimo pra falar de Biologia, não é? Como esse pessoal é tosco!

Ele aponta que o tão ansiado ancestral comum do homem e dos macacos, especialmente o “Australopithecus” incluindo o famoso “Lucy”, agora parece que, todavia vive na forma de um chimpanzé pigmeu conhecido como “bonono”. O “bonono” é um habitante das florestas do Zaire e é “quase idêntico em tamanho de corpo, estatura e tamanho do cérebro” à Lucy, supostamente o fóssil hominídeo mais antigo ( Science News , February 5, 1983, p.89).

Pois é, né? Isso prova que a Evolução errou? Hummmm, acho que não.

A evolução falha ao explicar a existência de uma “célula simples”. Os organismos unicelulares mais simples têm em seus genes e cromossomos tantos dados quanto existem documentos escritos nas maiores bibliotecas do mundo – um trilhão de documentos.

E daí? Evolução não trata do início da vida. Mas, Adalberto Minhoca, onde estão as provas que seu deusinho vagabundo existe?

Existem centenas de milhares de genes em cada célula. A maioria das formas de vida tem bilhões de células de grande complexidade em perfeita ordem. Não há razão em se dizer que o acaso pode organizar dados tão sólidos. A possibilidade matemática de um corpo humano ser formado acidentalmente é a mesma de uma explosão em uma gráfica formar um dicionário.

Talvez deva ser por isso que dentre bilhões de galáxias, cada uma com bilhões de estrelas, cada uma em vários planetas, ainda não foi descoberto vida fora da Terra. Que tal?

Sir Fred Hoyle, um homem ateu e que deu origem à teoria do “universo infinito e em constante expansão”, crê que as probabilidades de que o acaso tenha formado a vida na terra são tão pequenas que podem ser comparadas à possibilidade que “um tornado atravessando um depósito de ferro velho tem de montar um Boeing 747 com as peças em seu interior” (”Hoyle on Evolution,” Nature , Vol. 294, Nov. 12, 1981, p.105). Hoyle e Chandra Wickramasinghe, uma astrônoma matemática, calcularam a probabilidade de que a vida surgisse espontaneamente em qualquer lugar do universo num raio de 15 bilhões de anos luzes e pelo menos 10 bilhões de anos de idade. Eles descobriram que a chance de que esta probabilidade ocorra é menos de uma em 1 com trinta zeros. Sir Fred Hoyle e a Dra. Wickramasinghe chegaram relutantemente à conclusão de que a vida deve ter sido criada por uma Inteligência Superior (um tipo de inteligência panteísta que criou os esporos por alguma razão em outras partes do universo os quais foram arrastados para a terra) já que é de extrema complexidade terem surgido pelo processo natural.

Ah, bem. Eles criam na panspermia: vida originada fora da Terra. O curioso é que, aplicando a falácia crental que nada surge do nada, algo gerou a Inteligência Superior. E como nada surge do nada, algo criou o criador da Inteligência Superior, e assim sucessivamente. hehehe Onde está a prova?

Hoyle falhou na seguinte tese: Ele alegou que as reações foram ao acaso. Mas, não existe “acaso” na química. As reações não se processam de qualquer forma e sim baseadas em propriedades físico-químicas das substâncias.

Hoyle podia ser um excelente astrônomo, mas era uma negação em química de ensino médio. hehehe

Sir Fred Hoyle faz outra comparação pitoresca usando uma criatura peluda apreciada pelos evolucionistas: “Não importa quão grande seja o meio ambiente que alguém considere, a vida não pode ter tido um começo ao acaso. Um bando de macacos trovejando sobre as teclas de uma máquina de escrever não conseguiria produzir as obras de Shakespeare, pela prática razão de que todo o universo observável não é grande o suficiente para conter as hordas de macacos necessários, bem como as máquinas e certamente nem os cestos de papel para o lixo produzido pelas tentativas equivocadas. O mesmo se aplica aos materiais vivos (p.148).

Refutado acima. As ligações químicas, onde se baseiam as reações, não se dão ao acaso. Já que Hoyle já morreu, não posso mandar estudar. Então, vai você, LEIGO!

Os homens percorrerão grandes distâncias para organizarem em bases eficientes que não há um Designer pessoal do Universo que inteligentemente formou toda a vida. Só para os dados gerais e superficiais fornecidos por este site na web, se requer muito mais fé para acreditar na evolução do que para se crer num Criador Inteligente. A evolução é uma teoria sem evidência científica que a fundamente.

FALSO!

http://ceticismo.wordpress.com/2007/06/26/especies-em-anel/

É uma fé vazia para aqueles que não querem crer em Deus e deveria ser ensinada como religião. Uma religião que inspirou Karl Marx a desenvolver sua teoria de luta de classes e influenciou Adolf Hitler com sua raça ariana evoluída e superior.

Eu me lembro de ter dito que Hitler era apoiadíssimo pela igreja católica e um devoto cristão.

Muitos foram sacrificados por causa de suas visões utópicas, cruéis e amorais. A evolução é um sistema de crença que olha para um feto como um embrião de animal sem o direito à vida e não o vê como criação de Deus. Como Davi escreveu no Salmo 139:13:

[pregação idiota pra fugir do contexto]

A Terra,
Exclusivamente Projetada Para Sustento da Vida:
A terra foi criada por um Mestre Designer inteligente para manutenção da vida.

Vamos às provas?

A terra está posicionada à exata distância do sol de forma que nós recebemos a quantidade suficiente de calor para manutenção da vida. Os outros planetas de nosso sistema solar ou estão muito próximos do sol (muito calor) ou muito distantes (muito frio) para sustentar a vida.

Em bilhões de galáxias, com bilhões de sóis etc etc… Isso tinha que acontecer em algum lugar, não é? Onde está a maravilha nisso? Se ainda ocorresse em todo canto…

Qualquer mudança no ritmo da rotação da terra tornaria a vida impossível. Por exemplo, se a terra girasse a um décimo de sua rotação atual, toda a vida vegetal seria queimada durante o dia ou seria congelada durante a noite.

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira?🙂

As variações de temperatura mantêm-se dentro de um limite aceitável em virtude da órbita quase circular da terra em torno do sol.

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira? [2]🙂

As temperaturas extremas se tornam moderadas em virtude do vapor de água e do dióxido de carbono na atmosfera.

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira? [3]🙂

A lua gira ao redor da terra a uma distância de mais ou menos 384.000 mil quilômetros ocasionando as marés em nosso planeta. Se a lua fosse localizada a um quinto desta distância, os continentes seriam completamente submersos duas vezes por dia.

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira? [4]🙂

A espessura da crosta da terra e a profundidade dos oceanos parecem ter sido cuidadosamente projetados. Um aumento na espessura da crosta terrestre ou na profundidade dos mares de apenas alguns metros alteraria tão drasticamente a absorção do oxigênio livre e dióxido de carbono que a vida vegetal e animal não poderiam existir.

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira? [5]🙂

O eixo da terra está posicionado a 23.5 graus perpendicular ao plano de sua órbita. Este posicionamento, associado ao movimento da terra em torno do sol, provoca nossas estações, que são absolutamente essenciais para o cultivo dos alimentos.

Posso ver as pesquisas científicas que atestam essa besteira? [5]🙂

A atmosfera da terra (camada de ozônio) serve como um escudo protetor da radiação letal dos raios ultravioletas, que poderiam de outra maneira destruir todo tipo de vida.

Atmosfera é a camada de ozônio? Alguém precisa se matricular num colégio com urgência.

A atmosfera da terra também serve para protegê-la de aproximadamente 20 milhões de meteoros que entram em sua órbita cada dia com uma velocidade de mais ou menos de 48 km por segundo! Sem esta proteção crucial o perigo à vida seria imensurável.

Muito melhor é Júpiter, que destrói tudo sem nada sequer chegar perto dele. E daí?

A terra tem o tamanho físico perfeito e a massa exata para sustentar a vida, permitindo um equilíbrio cuidadoso entre as forças de gravitação (essenciais para controlar a água e a atmosfera) e a pressão atmosférica.

Os dois constituintes primários da atmosfera terrestre são o nitrogênio (78 por cento) e o oxigênio (20 por cento). Esta proporção delicada é essencial para todas as formas de vida.

Pois é. ALGUM planeta neste imenso universo acabaria apresentando isso, né?

O campo magnético da terra fornece uma proteção importante da nociva radiação cósmica.

Pois é. ALGUM planeta neste imenso universo acabaria apresentando isso, né? [2]

A terra é singularmente abençoada com uma abundante provisão de água, que é uma substância chave de vida em virtude de suas propriedades físicas essenciais e extraordinárias.

O Ser Humano é um abençoado por ter um apêndice. Tá certo que a única finalidade dele é inflamar e ser responsável por muitos problemas de saúde. Mas, aí vem a máxima: Deus sabe o que faz. (Sabe mesmo?)

“Tão numerosas combinações perfeitas e complexas de condições inter-relacionadas e fatores essenciais às delicadas formas de vida, sem sombra de dúvida apontam para um projeto inteligente e significativo. Crer que um sistema de suporte à vida tão intrinsecamente planejado é o resultado de uma mudança é algo absolutamente sem sentido. Certamente, um observador sincero e objetivo não terá outro recurso senão concluir que o sistema terra-sol foi cuidadosamente e sabiamente desenhado por Deus para o homem” – Huse, Scott M., O Colapso da evolução (Huse, Scott M., The Collapse of Evolution ).

Falácia da Poça D’água: Um dia, choveu e, na depressão do terreno, uma poça dágua se desenvolveu. Pensammento da poça “Puxa, olha só o lugar onde estou! Direitinho do meu tamanho e adequado a me conter. Algum ser especial fez isso aqui pra mim”

[pregação crental removida]

Argumento Cosmológico Para a Existência de Deus
Argumento Cosmológico – Uma Primeira Causa

A. Se alguma coisa existe, deve haver o que se requer para que essa coisa exista.

B. O universo existe.

C. Deve haver o que se requer para que o universo exista.

D. O que se requer para que o Universo exista não pode estar limitado dentro do espaço e do tempo.

E. Por isso, o que se requer para que o Universo exista deve transcender tanto o espaço quanto o tempo.

Se existe Deus, então algo fez com que Deus existisse. hehehehehe🙂

Immanuel Kant, o famoso filósofo da Prússia (1724-1804), justificava seu agnosticismo com o que ele via como as seguintes contradições quanto ao tempo (A) e a causalidade (B):

A. Tempo:
Tese: O universo deve ter tido um começo, senão um infinito número de momentos transcorreram. Mas isto é impossível, já que o infinito não pode ser atravessado.
Contraposição: Mas o universo não pode ter começado no tempo, senão houve um tempo anterior, o que é impossível.

B. Causalidade:
Tese: Nem toda causa tem uma causa, senão as séries nunca começariam o que acontece. Então deve haver uma primeira causa.

Então, não precisamos ter uma causa para que o Universo exista. ahahhahahahahaha Ele pode muito bem ser a causa primeira.😀

Contraposição: Mas as séries não podem ter um começo, já que tudo tem uma causa. Então não deve haver uma primeira causa.

Em suma: Ou tem uma causa primeira ou não tem. Ou o Universo é a causa primeira, ou ele sempre existiu. Isso prova a existência de algum Deus?

Análise:
No que diz respeito à antinomia (contradição real ou aparente entre dois princípios ou leis, paradoxo) da causalidade de Kant, nem tudo precisa de uma causa, apenas casuais ou seres finitos. O Necessário ou primeiro ou Ser eterno não precisa de uma causa.

Refutado por mim.

Kant raciocinava que um Ser Infinito podia se refletir apenas em um universo infinito. Como o universo que veio a ser é imaterial já que não pode ser conhecido através de nossos sentidos (sensibilidade). Para Kant as propriedades universais que formam cada aparência das coisas diante de nossa mente são as condições transcendentais de aparência a priori, as quais aparecem análogas às formas de Platão (Eidos) ou universais com subjacentes aparências físicas.

E daí?

Ainda de acordo com Kant, existem duas condições que se aplicam a cada percepção: espaço e tempo. Nem espaço, nem tempo podem ser considerados como uma realidade existente completamente fora de nós. Não observamos o espaço ou o tempo simplesmente como espectadores. Eles são de alguma maneira uma parte de nossa programada consciência interna.

Kant não era físico. Sugiro ler A Dança do Universo. Tal proposição postulada pelo LEIGO não tem o menor embasamento. Kant era contra a besteirada metafísica.parafraseando vocês: Texto foira de contexto. hehehehe

Manda mais, LEIGO!

Para Kant o espaço deve ser pressuposto. Não podemos conceber o espaço como algo que existe fora de nós mesmos sem pressupormos a própria coisa que estamos tentando conceber. A representação original de espaço é uma intuição a priori. Espaço é um conceito que existe em nossas mentes antes da experiência. Tempo não é um conceito empírico que deriva de qualquer experiência. Do mesmo modo o tempo é um conceito que existe em nossa mente a priori antes da experiência. Só porque experimentamos espaço e tempo em um nível empírico não significa que eles são objetivamente reais. Eles são parte de uma estrutura de nossa consciência, não coisas que a consciência descobre originalmente fora de si mesma. Kant expressa isto ao dizer que espaço e tempo são transcendentalmente ideais.

Transcedental não é real. Isso prova algo? Só se for na cabecinha de alfinete dos crentes.

O conceito de Kant de um universo infinito (adotado por Aquinas que sustentava que não havia razão para Deus preceder sua própria criação no tempo) está basicamente de acordo com o modelo do Estado Contínuo, o qual sugere um universo infinito. Um universo onde a criação da matéria é um ato natural, mesmo uma lei da natureza, não um milagre absoluto de uma natureza exterior. Há uma autocriação contínua e espontânea da nova matéria. Para Fred Hoyle, um dos três britânicos astrofísicos que inventaram o modelo do Estado Contínuo, “o Universo é o todo”. Nada pode transcender o reino da natureza.

A Teoria das Branas não concorda muito. Sugiro estudar o Livro Universo Elegante, de Brian Greene.

Nas últimas três décadas passadas a Ciência usando a teoria da relatividade geral de Einstein tem refutado a visão de espaço e tempo de Kant, de um universo infinito, mostrando que espaço e tempo são propriedades físicas e desta maneira são finitas. Estas propriedades irreconhecíveis ou “noumena” como Kant as rotulou tornaram-se empíricas (observáveis e como tal mensuráveis)

O Universo Não é Infinito:

Achados do Satélite de Exploração do Plano Cósmico (a sigla em Inglês é COBE – Cosmic Background Explorer de onde se origina) forneceram poderosas evidências de que toda a matéria, energia, espaço e tempo romperam repentinamente de um estado infinito, ou quase infinito, densidade, temperatura e pressão. O universo inteiro pode ser analisado sob uma particularidade, trata-se de um espaço infinitamente contraído representando o limite onde ele cessa ou começa a existir.

Ou seja, contrapõem o Gênesis que prega algo estático. hehhe

A teoria do Big Bang (Bigbang) sustenta que todo o potencial do cosmos, alguns quarenta bilhões de galáxias, deriva de um pequeno ponto menor que um próton, uma estrutura vazia de probabilidades da mecânica quântica chamada de campo escalar. Além desse ponto vazio, um “falso vácuo”, contendo não apenas o universo em potencial, mas 100 milhões de universos. Como foi tão bem descrito poeticamente por Gregg Easterbrook, se você crer no Big Bang, “você acreditará que, quando o Big Bang soou, o universo expandiu de um ponto minúsculo a um tamanho cosmológico em menos de um segundo – o próprio espaço atirando-se violentamente rumo a uma torrente se pura Física, o arco da onda do novo cosmo movendo-se a trilhões de vezes mais que a velocidade da luz. Você crê que este processo desencadeou distorções tão poderosas que, por um instante, o universo nascente se curvou em uma proporção surrealista. A extrema curvatura fez com que ‘partículas virtuais’ se materializassem de um mundo quântico inferior a números abundantes, a matéria da existência sendo ‘criada virtualmente do nada,’ tal qual uma vez se expressou a Scientific American” (Gregg Easterbrook, “A Ciência vê a luz”(Science Sees The Light) the New Republic, October 12, 1998).

Falácia do Apelo à Ignorância: “Se eu não sei o que foi isso, foi Deus”.

Evidência Para o Big Bang:

A. A expansão Huble do universo. Hubble descobriu uma relação linear entre a distância para uma galáxia remota e seu ‘redshift’ (desvio vermelho). No início dos anos de 1900 os astrônomos observaram que a luz de galáxias distantes se movia rumo ao comprimento de ondas mais largas ou vermelhas do espectro interpretado como um movimento rápido das galáxias distanciando-se umas das outras. Um campo azul indicaria que as galáxias estavam se aproximando entre si.

Ué, mas a Criação vai de encontro com o Big Bang. O texto mostra que o Big Bang é verdadeiro e que não houve Criação nenhuma. Simples.

B. Em 1965, rádio astrônomos detectaram ondas fracas de rádio qualquer que fosse o lugar para onde eles apontassem seus rádio telescópios. Isto confirmava a previsão de George Gamow, Ralph Alpher, e Robert Herman nos anos de 1940, de que se a vida do universo se expandia de uma singularidade, então tinha que existir em todas as partes do céu um fundo tênue desse evento de alguns graus sobre o zero absoluto. Esta concepção para o modelo Big Bang mais tarde foi confirmada em 1922 e 1993 pelo satélite COBE. Este satélite demonstrou que a radiação do plano cósmico fixa o perfil do espectro de um irradiador perfeito a uma precisão melhor que 0.03 por cento sobre toda a extensão da onda e como tal tem um bilhão de vezes mais entropia (eficiente ao distribuir energia) do que uma vela incandescente que tem uma entropia específica por volta de 2. Somente um Big Bang bastante quente pode explicar a enorme e específica entropia do universo. Isto coloca permanentemente em repouso o conceito de um universo se expandindo e se contraindo ciclicamente. Isto prova que o universo está apenas se expandindo.

C. As previsões comprovadas da síntese do elemento luz nos primeiros minutos do Big Bang. A abundância universal do hélio, extraordinariamente constante de galáxia em galáxia, testifica de uma origem cosmólogica comum. O deutério é destruído nas estrelas, mas não é produzido, ainda assim vestígios de deutério são observados em toda parte do médio interestelar, bem como uma abundância de lítio, que é também um indicativo de um denominador de criação comum.

A Luz não é um elemento.

O Tempo É Uma Propriedade Física Com Um Começo:

Em sua teoria especial da relatividade Einstein propõe que a medida intervalo entre dois eventos depende de como o observador está se movendo. Sempre que dois observadores se moverem um em relação ao outro uma dilatação do tempo irá ocorrer. Os relógios atômicos podem gravar o movimento da dilatação do tempo a uma velocidade de aeronave, o que equivale a apenas alguns nanosegundos de sua jornada típica. Se um astronauta viajasse para uma estrela vizinha a uma velocidade próxima à da luz e sua viagem durasse apenas um ano, quando retornasse teriam transcorrido dez anos na terra dependendo da velocidade de sua viagem.

A velocidade é uma forma de adiantarmos o tempo e a gravidade é uma outra. Em sua teoria geral da relatividade, Einstein previu que a gravidade retarda o tempo. A teoria de Einstein foi provada durante o teste feito por Arthur Eddington quando durante a Primeira Guerra Mundial (29 de maio de 1929) ele enviou uma expedição ao norte do Brasil para medir o desvio da luz pelo sol do grupo de estrelas “Hyades” durante um eclipse solar (Davis Bodanis, “E=mc2”). Os relógios andam mais rapidamente no ático ou num espaço próximo do que no chão. O efeito é minúsculo, mas pode ser medido por relógios precisos (Paul Davies, “Como Construir Uma Maquina do tempo” ‘How To Build A Time Machine’, Scientific American, September 2002, page 52).

Mais uma prova que não houve Criação.

Quanto mais pesada for a estrela mais se retarda o tempo. Na superfície de uma estrela nêutron, o tempo se retarda mais ou menos 30 por cento em relação ao tempo da Terra. Na superfície de um buraco negro o tempo ainda permanece relativo ao da terra. Se você caísse dentro de um ‘buraco negro’ das proximidades, no rápido intervalo de tempo necessário para que você chegasse à superfície, desde o evento “horizonte” até a superfície da singularidade, toda a eternidade teria passado no universo. As estórias de ficção científica normalmente descrevem as naves espaciais subindo bruscamente próximas a um buraco negro e sendo projetadas para dentro de um futuro distante.

Einstein confessou que ficava intrigado com o pensamento de que sua teoria da relatividade poderia permitir viajar ao passado sob algumas circunstâncias. Os efeitos quânticos dominariam em situações de viagens de tempo segundo argumentos de David Deutsch (”A Fábrica da Realidade”-‘The Fabric of Reality’, página 312). “As versões típicas candidatas à teoria quântica da gravidade não apenas permitem que as conecções dirigidas ao passado existam no multiverso, elas predizem que tais conecções estão se formando e se rompendo continuamente. Isto se sucede através do tempo e do espaço, mas apenas em uma escala sub-microscópica. O trajeto típico formado por estes efeitos é de aproximadamente 1035 metros, permanecendo aberto para um tempo Plank (cerca de 1043 segundos), e por isso só um tempo Plank seria alcançado.”

Vamos resumir.

Conclusão:

A Bíblia só pode ser entendida numa aceitação de um Deus sobrenatural e transcendente, fora dos limites das dimensões que somos capazes de visualizar e experimentar (comprimento, largura, altura, tempo). De que outro modo podemos imaginar uma vida espiritual após a morte física, a capacidade de Jesus caminhar sobre a água, curar as enfermidades humanas, andar através das paredes com seu corpo ressuscitado e centenas de profecias precisas e cumpridas? De que outra maneira podemos explicar o livre arbítrio e a predeterminação divina, a menos que o Deus do universo estivesse fora da dimensão do tempo e pudesse ver o começo e fim de nosso existir incluindo nossas decisões de vida no momento exato. Um Deus transcendendo a dimensionalidade é a única explicação para o sobrenatural.

Em suma: o crente imbecil depois disso tudo alegou: Não sei o que aconteceu. Deus existe, amém. Vamos passar a sacolinha. Ei cadê o padre?

“Um instante, ele foi ali com o coroinha e já volta”.

O Big Bang nos diz que alguns bilhões de anos atrás a matéria, a energia, o espaço e o tempo começaram de uma singularidade. Teologicamente isto significa que a causa do universo tinha que estar fora e independente do universo, por essa razão um Criador.

Infelizmente (ou felizmente) a Física caga e anda se tem um deus ou não. Se a teologia, que não é ciência, diz isso, ela que prove.

Não houve lugar para que o Big Bang ocorresse porque antes dele o espaço não existia.

Da maneira como conhecemos HOJE.

A ciência é capaz de afirmar quando isto aconteceu a partir do redshift (desvio vermelho) das galáxias mais distantes. Aquelas galáxias são registros observáveis das condições na época do Big Bang. Agora vemos que as imagens destas galáxias foram transmitidas 13.7 bilhões de anos atrás no início da criação. Por causa de sua distância e a velocidade da luz apenas agora estamos recebendo estas imagens. Um “redshift” indica que elas estão se distanciando do observador e um “blueshift” que estão se aproximando.

E daí?

Gênesis1:1 afirma: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. Observe que a duração do ato de criação não é dada e um universo de 13.7 bilhões de anos não contradiz Gênesis 1:1.

Contradiz, pois a Bíblia disse que tudo foi criado em dias. E não venha com história que um dia = mil anos. Mesmo assim, estará numericamente errado.

Não podemos escapar da necessidade de uma Primeira Causa, se atribuirmos nosso universo a uma singularidade ou à existência de multiversos. Talvez realmente existam multiversos, mas apesar disso uma pergunta deve ser feita, “Como eles vieram a existir? ” Talvez uma pergunta mais apropriada seja “Quão grande é o Deus?” “Ele é o Deus do potencial infinito ou apenas um ídolo tridimensional limitado a uma estrutura celular de pedra e madeira?” “Ele é um Deus que pode revelar-Se a nós tomando a forma de um homem para morrer numa cruz de madeira, apesar de ter sido Ele mesmo quem criou o monte onde ela foi erguida?”

Aceitar a existência de um Deus pessoal é uma decisão que devemos fazer usando tanto nosso coração quanto nossa mente já que a mente por si só não consegue encontrar uma razão, contudo injustificada, para não aceitar a existência de um Criador, uma Primeira Causa, um Deus Onipotente e Onipresente. Em nossa presunção intelectual sempre podemos encontrar uma razão que ingenuamente acreditamos excluir a existência de Deus só para O encontrarmos esperando por nós bem além dos limites de nosso entendimento, pacientemente esperando por nosso coração e consciência para conhecê-Lo. Quando o homem da Renascença descobriu que a terra era redonda em vez de plana muitos deixaram de acreditar em Deus apesar do Livro de Isaías escrito mais ou menos em 700 A.C claramente nos dizer que a terra é um “círculo”:

“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar” (Isaías 40:22).

Círculo é uma figura BIDIMENSIONAL e não TRIDIMENSIONAL.

Isaías disse que a Terra é que nem pizza, hehehe

Um pouco mais abaixo em Isaías 40:26-28 ele continua:

“Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas; foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por causa da grandeza das suas forças, e porquanto é forte em poder, nenhuma delas faltará.

Também menciona Dragões e Unicórnios.

http://ceticismo.wordpress.com/2006/11/12/a-biblia-e-o-paganismo/

Por que dizes, ó Jacó, e tu falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao SENHOR, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento.”

A Bíblia também diz

Todo o que for achado será trespassado; e todo o que for apanhado, cairá à espada. E suas crianças serão despedaçadas perante os seus olhos; as suas casas serão saqueadas, e suas mulheres violadas.

Samária levará sobre si a sua culpa, porque se rebelou contra seu deus; cairá à espada; seus filhinhos serão despedaçados, e as suas mulheres grávidas serão fendidas.

Que amor.

Em nosso orgulho adquirimos um pequeno conhecimento e nos julgamos sábios o bastante para refutarmos a existência de Deus só para achá-Lo esperando por nós além de nosso limitado horizonte intelectual.

Blé.

Como o Salmista no Salmo 139 tão bem expressa:

“Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar.”

O Salmista também diz em Salmos 136:9 – Feliz aquele que se apoderar de teus filhinhos, para os esmagar contra o rochedo

A Bíblia não está limitada em entendimento. Entretanto, nossas mentes o estão. A ciência apenas descobre novos panoramas de aumentar a complexidade, tudo adornado com as impressões digitais de Deus. A verdadeira ciência atesta para a existência de uma Mente Infinitamente Sobre-humana, a de um Designer Mestre.

Onde estão as provas?

O sol é de suma importância para a vida na terra. E ainda, a existência do sol e das estrelas, que não são senão átomos de hidrogênio perdendo a força, em geral é um milagre. As probabilidades de que as estrelas e as forças que as governam ocorram acidentalmente é virtualmente impossível. Para estrelas existirem as seguintes forças também devem existir:

1) Uma Força Gravitacional Fraca é necessária para que o universo exista tal como é:

2) Os nêutrons, prótons e elétrons são do tamanho exato para a física nuclear e atômica (quântica):3) A intrínseca densidade de massa e energia do espaço vazio:

4) Alfa:

5) Força Nuclear Forte:

6) Força Nuclear Fraca:

Eunão vi nada que provasse a existência de Deus ou que nada disso ocorreria sem que a sua existência. Logo, não serve pra porra nenhuma.
Os dados acima foram retirados da obra “A Vida do Cosmos” de Lee Smolin – Oxford University Press,1997 – “The Life of Cosmos” by Lee Smolin – Oxford University Press, 1997). Lee Smolin afirma na discussão que ele chama de “O Milagre das Estrelas” – ‘The Miracle of Stars’:

Obrigado. Agora, posta um artigo científico de verdade.

Uma resposta para “Refutando o copy/paste da minhoca

  1. Certas coisas me deixam furiosa!

    A minhoca aí, ao mencionar Kant, esqueceu de dizer que quando ele falava sobre o ‘conceito’ Deus, falava como forma de contra-argumentar a metafísica (que ele, Kant, fez o favor de DESTRUIR).

    Em sua obra ‘crítica da razão pura’, Kant aduz que a obtenção do conhecimento se delimita pelos contornos da experiência do possível. O que isso significa?

    Significa, p.ex, que poderíamos pensar o conceito de Deus, mas este ‘conceito’ extrapolaria os limites da experiência do possível e, não sendo o conceito ‘Deus’ passível de experimentação para sua comprovação, isso invalidaria o estudo deste objeto pela ciência (ENTENDEU BABACA? INVALIDARIA O OBJETO ‘DEUS’ PELA CIÊNCIA).

    Assim a ‘crítica da razão pura’, extirpa da metafísica sua legitimidade enquanto ciência, na medida em que ela não pode mais ser compreendida no interior do mesmo campo de atuação da matemática e da física (os objetos da metafísica podem ser pensados, mas nunca conhecidos, se não podem ser conhecidos, são vazios de conteúdo).

    Da próxima vez que mencionar um filósofo, FAÇA-O de forma CORRETA, abstendo-se de deturpar o que ele tenha falado para teus fins, isso que fizestes tem um nome – BEM FEIO – chama-se: DESONESTIDADE INTELECTUAL.

    Mas eu poderia esperar o quê de uma MINHOCA-RELIGIOSA?!!!!😀

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s